falar mal do concorrente

→ Por que você NÃO deve falar mal do concorrente para seus pacientes do consultório


→ Por que você NÃO deve falar mal do concorrente para seus pacientes do consultório
5 (100%) 126 votes

Falar mal do concorrente consiste em uma das PIORES estratégias de mercado que qualquer empresa possa utilizar.

Há algum tempo, fui deixar meu celular para consertar em uma assistência técnica. Lembro que, próximo a ela, tinha outra assistência que tinha bem mais visibilidade e que, inclusive, já tinha entrado em contato, porém sem sucesso.  

Quando cheguei lá na assistência, havia comentado que tentei entrar em contato com a loja próxima, que era concorrente dele, porém não obtive sucesso. Aí o atendente dá loja não pensou duas vezes: 

O sr. fez certo em não ir lá. O cara não tem compromisso e não trabalha bem… 

Algumas atitudes do concorrente realmente ratificaram o que o atendente tinha dito. De certa forma, existiu uma falta de compromisso do concorrente. 

Do outro lado, falar mal do concorrente me deixou com a orelha em pé. Terminei fechando o serviço com ele não por causa da atitude de ter queimado o concorrente e sim por ter uma urgência no conserto do smartphone e por ser bem próximo a minha residência, o que era bastante conveniente. 

Rapidamente fiz um paralelo com o mercado odontológico. Já vi colegas falarem mal de procedimentos ou atitudes dos seus concorrentes. 

Existem iatrogenias? Sim!  

Concorrência desleal? Muito!

Mas nada disso justifica falar mal do concorrente, ainda mais porque, naturalmente, o mercado odontológico eliminará os dois exemplos acima em médio prazo. 

Veja algumas razões pelas quais você não deve falar mal do seu concorrente

 Falar mal do concorrente soa (e é) extremamente antiético. 

No primeiro momento, o paciente até pode achar vantagem fazer naquele consultório, porém não durará muitos minutos, ainda mais porque ele poderá achar aquela estratégia bastante antiética e que o consultório capta pacientes em detrimento consultórios.

Além disso, o CEO deixa claro isso:

Artigo 13º. Constitui infração ética:
III-praticar ou permitir que se pratique concorrência desleal;

Você não sabe como se deu o processo de realização do procedimento odontológico. 

Já que estamos falando de comportamento antiético, é MUITO comum colegas crucificarem outros colegas por realizar um determinado procedimento de uma forma X ou Y. Já vi comentários sobre o porquê do dentista ter colocado ZOE para fechar uma cavidade MO sem colocar uma matriz metálica.  

A questão é

  • Não se sabe em que circunstâncias ocorreu o procedimento odontológico;
  • Não se sabe se o paciente respeitou as normas e cuidados pós procedimento;
  • Não se sabe quando o paciente deu continuidade ao tratamento.

 Há inúmeras outras razões que poderia citar acima, mas preferi utilizar as mais comuns. Por exemplo, lembro que logo que me formei,  fui realizar um procedimento restaurador em uma paciente. No meio do processo, a ASB percebe que o adesivo acabou. Era um sábado e ela ia a um casamento que, provavelmente, iria comer em demasia.  

Diante disso, fui atrás de outros consultórios para conseguir um adesivo emprestado. Diante da necessidade de ir procurar, a paciente passou 50 minutos esperando. Na segunda seguinte, escuto algo do marido dela:

 Dr., o sr. passou quase 1 hora para fechar aquele dente? Estava muito complicado? 

No primeiro momento, senti que aquele comentário soasse como uma alfinetada (o Sr. não tem experiência não?). Logo em seguida, percebi que era apenas curiosidade mesmo. Mas poderia ser uma alfinetada, concordas? 

Outro caso MUITO comum é com Ortodontia. O paciente vai ao dentista pedindo para trocar de ortodontista. A justificativa mais comum é que ele está há um bom tempo com aparelho. Para fins de exemplo, vamos colocar 4 anos de tratamento.

O que ele NÃO diz é que, destes 4 anos de tratamento, ele faltou 2. Isso sem falar das quebras de brackets, que compromete diretamente o tratamento.

Lembro de um colega dentista que operou fez uma cirurgia oral em um paciente. Na semana seguinte, a paciente não voltou, embora tenha relatado que estava com dor. Na outra semana, o dentista não pode ir. Nestes desencontros, a paciente foi procurar outro profissional.

A dentista não só disse que a culpa da dor no local era do colega que a operou como colocou isso por escrito. O resultado disso foi que a paciente colocou o dentista que operou na justiça. Do outro lado, a colega que fez o laudo também se deu mal, porque cometeu uma infração ética.

Poderia citar diversos exemplos aqui de situações que ocorrem no dia a dia nos quais o paciente teve participação direta no fracasso do tratamento, não cabendo ao dentista realizar um pré-julgamento do colega que atendeu. Por isso que se deve pensar 30x antes de falar mal do concorrente.


Eu sei que você está pensando: mas o concorrente vive falando mal de mim. Isso sem falar da concorrência desleal que ele faz, o que inclui guerra de preços.

A dica é: deixe-o falando mal sozinho. Não caia nessa! Falar mal do concorrente mostra insegurança no próprio negócio, mau caratismo e amadorismo empresarial. E lembre que isso acontece em todas as áreas. Você não precisa falar bem do seu concorrente, mas NUNCA deve falar mal.

Do outro lado, situações nas quais há uma clara e evidente concorrência desleal devem ser denunciadas junto ao conselho regional do seu estado.

Enalteça seu consultório com seus principais pontos fortes. Se seu concorrente vive falando mal de você, no fim, via ficar feio para ele, acredite!

 

Leia mais:


Gostou da postagem?  Que bom! =)

Compartilhe com seus colegas de profissão. Acredite, se todos soubessem lidar com o mercado odontológico, estaríamos numa situação bem melhor. Então faça a sua parte!

Caso haja alguma dúvida, não hesite em perguntar abaixo! Mande sua dúvida que farei de tudo para te ajudar!

Grande abraço e até a próxima postagem!

Wilson Correia Jr.

 

 


Recomendados Para Você:

Leave comment

Se você é IMPLANTODONTISTA, temos algo para você!  Clique AQUI e saiba MAIS
close
open