indicação de pacientes para outro profissional

→ Indicação de pacientes para outros dentistas: cuidado para não indicar e se queimar


Há 4 anos, realizava indicação de pacientes para um endodontista que, por sua vez, realizava a contra referência, que nada mais é do que encaminhar novamente o paciente para continuidade do tratamento. Recebia todos os pacientes de volta. Isso não tenho o que reclamar.

Do outro lado, já houve indicação de pacientes para fazer um determinado tratamento com colegas que me propuseram uma parceria entre consultórios que me deram muita dor de cabeça, inclusive a um ponto que comecei a perder pacientes. E não foi uma vez, nem duas, nem três. Foram diversas.

Comecei a perceber algo que era básico: a indicação de pacientes para tratamento com algum colega colocava meu nome no jogo. Se ocorresse qualquer problema, fatalmente meu nome também sairia comprometido.

Na hora, a pessoa que foi indicada vai pensar:

Você sabia que ele era ruim e mesmo assim me indicou??

Como é algo comum, inclusive só percebido pelos dentistas após a indicação de muitos pacientes, achei válido criar um artigo sobre este assunto com dicas importantes.

5 pontos que você deve levar em consideração antes de realizar indicação de pacientes para um colega dentista

Nunca, absolutamente NUNCA realize indicação de pacientes para um colega só porque ele é seu amigo

O consultório não é um balada ou uma partida de futebol de final de tarde nas quais erros podem ocorrer e vocês, no máximo, irão dar risadas sobre isto. Ali é o SEU nome que estará em jogo.

A indicação de pacientes apenas por motivos de amizade, deixando para segundo plano a questão de relacionamento e, principalmente, a questão técnica, é um verdadeiro tiro no pé, no qual o paciente jamais irá esquecer.

Indique seus pacientes para colegas que são COMPETENTES e não porque são seus AMIGOS. Se estas duas situações coincidirem, ótimo. Se não, opte pelo competente.

Se algum colega te propor uma parceria, procure informações sobre ele

Por mais que isso pareça constrangedor, isso é a coisa mais normal do mundo. Quando uma pessoa vai fazer uma viagem, por exemplo, ela procura indicações de hotéis, bares, restaurantes, passeios, etc. Inclusive, em boa parte dos casos, são indicações de pessoas desconhecidas.

Caso algum colega de profissão que você não conheça venha propor uma parceria, procure informações sobre ele. Com certeza alguém deverá conhece-lo e te passar referências.

Esta parceria tem que ter uma comunicação efetiva e constante sobre os casos clínicos

Não tem nada PIOR do que as famosas “duas conversas”. Um profissional sugere uma coisa, outro sugere outra, e o paciente cai no limbo das dúvidas, ficando perplexo quanto ao resultado final do seu tratamento odontológico.

Tenha o email de contato ou até mesmo troque número de WhatsApp com o dentista que será referenciado para que vocês discutam possibilidades de tratamento e falem a mesma língua, a fim de evitar divergências de informações.

Realize uma pesquisa de satisfação sobre o atendimento do colega

Você pode fazer uma pesquisa mesmo com preenchimento de um formulário ou simplesmente perguntar como foi o atendimento e começar a monitorar as respostas.

Entenda também que não é uma investigação. Basta perguntar como foi o atendimento que ele vai te dizer.

Caso inicie uma parceria e começar a ter problemas, não pense duas vezes antes de encerrá-la

Leve em conta que não é uma saída noturna mas sim uma parceria EMPRESARIAL que, se não der certa, vai afundar seu nome no mercado aos poucos.

Nessas horas, é importante ter cabeça fria e encerrar a parceria. O que vai dizer? Fale a verdade. Diga que há queixas dos pacientes que são indicados. Talvez o colega nem veja a falha. Se ele for profissional e maduro, vai ver como uma crítica construtiva e modificar e/ou corrigir as falhas.


 É preciso ter em mente que não é pessoal e nem deve ser. Já fiz indicação pacientes para um dentista que sequer lembrava meu nome, mas ele era competente no que fazia. A escolha do colega que irá receber indicações deve levar em consideração todos os aspectos acima.

Do outro lado, tente não ser muito rigoroso. As pessoas têm personalidades e maneiras de abordar o paciente diferentes. Tente chegar em um denominador comum para que todos saiam  ganhando.


Leia mais:


Gostou da postagem?  Que bom! =)

Compartilhe com seus colegas de profissão. Acredite, se todos soubessem lidar com o mercado odontológico, estaríamos numa situação bem melhor. Então faça a sua parte!

Caso haja alguma dúvida, não hesite em perguntar abaixo! Mande sua dúvida que farei de tudo para te ajudar!

Grande abraço e até a próxima postagem!

Wilson Correia Jr. 


Recomendados Para Você:

Leave comment

Qualifique sua Equipe os Lucros no Consultório -TURMA RECIFE (19/10)  Clique AQUI e Saiba Mais
close
open